Imprimir esta página
domingo, 15 maio 2022 18:49

44Cup Cascais

44Cup Cascais Nico Martinez

 

Normalmente, os campeonatos da 44Cup são decididos na ultima perna da última regata após quatro dias de competição. Mas na 44Cup Cascais, o segundo evento do circuito 2022 de alta performance, aconteceu o contrário. O Charisma do holandês Nico Poons e treinado pelo velejador olimpico portugues Alvaro Marinho, a representar as cores do Monaco, estabeleceu uma fasquia alta depois de vencer as três provas no dia de abertura. A vantagem desta equipa neste campeonato desde quinta-feira pode ter aumentado e diminuído, mas terminaram o fim de semana com cinco vitórias em 11 regatas disputadas, incluindo a terceira de hoje. Eles terminaram a 44 Cup Cascais com 12 pontos de vantagem sobre o Ceeref de Igor Lah, patrocinado por Hrastnik 1860. O resultado do Charisma foi alcançado em conjunto com o treinador Alvaro Marinho e este resultado foi bastante importante depois da etapa anterior, a44Cup Lanzarote, em fevereiro esta equipa terminou nos últimos lugares da tabela.

As condições do vento foram semelhantes às de Sabado, com 10 nós ao sul e cobertura de nuvens dando lugar ao céu azul. A Comissão de Regatas liderada pela PRO Maria Torrijo deslocou hoje a área de regatas para sul de Cascais, protegendo-a da vaga atlântica de noroeste.

No ultimo dia, como na sexta-feira, o Team Aqua de Chris Bake foi o mais na prova inicial e assim venceu a regata de abertura. No entanto, eles terminaram em último na prova seguinte e pareciam prontos para repetir isso quando foram obrigados a regressar para a linha de largada depois de terem sido penalizados com uma largada adiantada na última regata, recuperando espectacularmente para o quinto lugar - mas esta situação acabou por custar aos campeões da 44Cup de 2021 o terceiro lugar em Cascais.

“Era um pouco mais aberto e tratava-se de instalar e configurar bem o barco”, disse o estrategista Cameron Appleton sobre as condições de hoje. Sobre a primeira vitória da corrida, acrescentou: “Fomos para o lado direito e perseguimos um pouco mais de pressão e a corrente era favorável. Andamos bem durante toda a semana. A equipa fez um bom trabalho. Tivemos grandes momentos. Tivemos boas largadas, mas não conseguimos capitalizar”.

Indo para a regata final, o Charisma só precisava terminar para vencer o evento. No entanto foram implacáveis e venceram a ultima prova com estilo enfático. Sobre a vitória no evento, o timoneiro Nico Poons refletiu: “É uma sensação boa – vencemos! Estou surpreso, especialmente porque da última vez não estivemos bem em Lanzarote e agora vencemos com uma vantagem tão grande. O primeiro dia com três vitórias – isso foi espectacular! O skipper precisa de foco, mas é a equipa que está a trabalhar e a fazer as coisas acontecer.”

Mesmo um homem geralmente cheio de teorias, o aparador de folhas principais do Charisma, Chris Hoskins, não conseguia explicar seu sucesso: “Eu gostaria de saber! Às vezes, apenas segue o seu caminho. Não parece que fizemos nada particularmente diferente do que fizemos em Lanzarote quando terminamos em oitavo.” Certamente a equipe Carisma costuma ter um bom desempenho com este vento.

No inicio da ultiam regata o Ceeref já tinha garantido pelo menos o segundo lugar da geral. O facto de terem feito isso não trouxe surpresas para Igor Lah. “É a maldição de Cascais para nós. O Charisma terminou SEMPRE em segundo aqui! Tenho que dar o parabéns ao Charisma – eles estiveram muito bem. Estamos felizes – mantivemos os nossos lemes dourados ”, na 44Cup o lidera do circuito mundial tem o direito de navegar com as rodas de leme douradas

Enquanto o segundo lugar estava atribuido isso estava longe de ser verdade para o lugar mais baixo do podio. O Team Aqua foi para a ultima regata com uma vantagem ténue com Aleph Racing e Artemis Racing um ponto atrás e o Team Nika mais dois atrás.

Embora o Charisma tenha sido a equipa de destaque aqui em Cascais, na verdade o vencedor de hoje em termos de pontuação mais baixa foi o Team Nika, que venceu a segunda regata de hoje e perseguiu o Charisma para conquistar o segundo lugar na última regata. Estes resultados catapultaram-nos de sexto para terceiro da geral, embora apenas decididos no critério de desempate entre o Aleph Racing e o Artemis Racing.

“Tivemos uma óptima largada e escolhemos os dois primeiros bordos da maneira certa”, explicou o táctico do Team Nika, Francesco Bruni, sobre a vitória na regata. “Ficamos muito empolgados por ainda termos a chance de terminar entre os três primeiros depois disso. Então tivemos um pouco de sorte de terminar nos mesmos pontos que Artemis e Aleph e vencer no critério de desempate. Estamos felizes e chegar em terceiro é importante para os pontos da da classificação geral do circuito.” Quanto ao desempenho do Charisma, o timoneiro da Copa América italiana explicou: “Isso é típico da 44Cup. Um dia você é bestial noutro dia é uma besta.”

Os extriantes da 44Cup Black Star Sailing Team desfrutaram de um breve momento de glória quando na segunda regata de hoje alcançaram a baliza de barlavento em segundo lugar, onde terminaram em sexto nessa prova. “Foi um grande evento onde aprendemos bastante”, disse o timoneiro Christian Zuerrer sobre o primeiro evento da 44Cup. “É sempre bom estar no grupo. Nestas condições era difícil manobrar o barco e com o estai velho não podíamos navegar contra o vento como os outros. Mas foi muito melhor hoje do que ontem.”

Este campeonato contou comos apoios do Turismo de Portugal, Visit Cascais, Câmara Municipal de Cascais, Federação Portuguesa de Vela, Marina de Cascais e Vista Alegre. Contamos ainda com o apoio institucional da associação não-governamental Sailors For The Sea – Portugal

Os RC44 são barcos de alta competição, com os cascos construídos inteiramente em carbono e velas de última geração, o que os torna extremamente rápidos a velejar em todas as condições de vento e mar. O barco trata-se de um modelo ‘One-design’, isto é, todos iguais, o que assegura a equidade competitiva entre todos os barcos. Este projeto foi idealizado por Russel Coutts, velejador que venceu quatro vezes a América’s Cup, a mais emblemática prova de vela do mundo.