HISTÓRIA

O Clube Naval de Cascais foi fundado em 1938 e, desde o seu nascimento, assumiu um papel de relevo no desenvolvimento dos desportos náuticos em Portugal, com especial destaque na Vela, tornando-se num dos Clubes Náuticos mais prestigiados em Portugal.

Ganha particular impulso graças à entrada de sócios com poder económico e influência política. Nomes como o de Jorge Monte Real (Conde Monte Real), Bernardo Mendes de Almeida (Conde de Caria) e Maxime Vaultier foram decisivos para o CNC alcançar o estatuto que hoje detém. 


Nesta década o Clube conheceu quatro dirigentes: Manuel Possolo (1938-40), Armando Villar (1941-42), Maxime Vaultier (1943) e Frederico Costa Pinto (1944-48).

Sob a direção de Bernardo Mendes de Almeida (Conde de Caria), do tenente-coronel José Roberto Raposo Pessoa, intervalando com Jorge de Mello e Faro (Conde de Monte Real) e Manuel Ribeiro Espírito Santo Silva, o Clube inaugura oficialmente a sua primeira grua elétrica.

Graças a Frederico da Costa Pinto, foi instalada a Escola de Vela Eng.º Barros Pereira.

Em 1950 o CNC fez-se representar internacionalmente em França, Itália e Estados Unidos da Amércia. Em 1952, Joaquim Mascarenhas de Fiúza, que já tinha participado em três edições dos Jogos Olímpicos, obteve a Medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos de Helsínquia, a bordo do Espadarte.

O CNC organizou os campeonatos da Europa e do Mundo da Classe Star, bem como a Taça D. Carlos, o Troféu Salazar e a Regata Oceânica.

Em 1962 o CNC assinala a conquista de um novo estatuto: o de Autoridade Nacional de Motonáutica.

Conclusão do novo Cais Sul que vem proporcionar a realização de mais e melhores competições.

Reabertura da Escola de Vela com um total de 60 inscrições e o início das aulas de ski náutico, e o BES a entrar como patrocinador da Escola e Vela.

Em 1690 o CNC organiza os primeiros Jogos Luso-Brasileiros em Dragão, Star, Finn e Snipe. Participa ainda no Torneio Internacional de Juniores em Snipe, no Campeonato do Mundo em Star (Rio de Janeiro) e Europeu (Sul de França), nas Regatas Internacionais de Dragão (Nápoles) e no Campeonato do Mediterrâneo de Snipe (Argélia). 

O Clube conta com a representação de 8 atletas nos Jogos Olímpicos de Roma, incluindo Mário e José Gentil Quina que trazem para casa a Medalha de Prata.

Em 1970 o CNC organiza a Gold Cup, presidida por Patrick Monteiro de Barros, com 160 concorrentes de 34 países. "A maior frota alguma vez reunida em qualquer campeonato da Classe Finn" (site internacional da Classe).

A Classe Star inicia a sua actividade no clube.

Em 1973 realiza-se o Festival Náutico do Aniversário do CNC, marcado pela estreia da Classe Laser em competições.

Com o recomeço da atividade, em 1976, teve lugar a tradicional Semana de Vela, aberta às classes Optimist, Vaurien, 470, Grande Cruzeiro, Snipe e Finn. 

No âmbito do ensino, ministrou-se pela primeira vez o curso de Patrão de Costa e de Patrão de Alto Mar, e em 1978 abriu-se uma secção dedicada ao windsurf.

Esta década foi presidida sob a direcção de Bernardo Mendes de Almeida, Conde de Caria.

Liderança de Bernardo Pinheiro de Mello, Fernando Brilhante Pessoa, João Felix da Silva Capucho e Joaquim Carlos Silveira. 

Entre 1979 e 1981 o CNC acolhe o Campeonato do Mundo de Optimist. Em 1982 recebe o Mundial de 470, com a participação de 85 equipas.

No ano de 1984 o CNC é lembrado pelo reconhecimento do clube como "pessoa coletiva de entidade pública", pelo então primeiro-ministro Mário Soares.

Em 1985 o CNC recebe o Campeonato da Europa de Laser.

Redefine-se o formato dos cursos na Escola de Vela e aumenta-se a frota da escola com a aquisição de 3 Vaurien e 2 Optimist. 

 

Presidida por Joaquim Carlos Silveira, Vasco Pinto Basto e Jorge d'Orey Pinheiro Arnoso.

Em 1990 o CNC comemora 50 anos de existência.

Organiza novamente o Campeonato do Mundo da Classe Optimist, com a presença de 200 barcos de 42 países.

Em 1995 o CNC recebe 65 equipas do 20 países da Classe Star, com os portugueses a marcarem posição.

Em 1997 organiza o Campeonato da Europa da Classe Laser, onde participam 129 velejadores.

O Rei Juan Carlos oferece um troféu ao clube, tendo sido criado o H.M. King Juan Carlos Trophy, evento da Classe Dragão e em 1998 realiza-se a segunda Gold Cup que contou com a presença de dois membros da realeza, o Rei Juan Carlos de Espanha e o Príncipe Consorte da Dinamarca, Henrik.

Presidida por Miguel Magalhães e José Sotto Mayor Matoso.

Em 1999 regista-se a inauguração da Marina de Cascais, o que permitiu que o CNC passasse a ter um novo cais do lado sul.

A tónica foi para os Jogos Olímpicos de Sidney em 2000 com excelente performance dos atletas do CNC nas classes Laser, 470 e 49er.

Em 2001 o CNC recebe a condecoração com a Medalha Naval de Vasco da Gama, pelo Chefe do Estado Maior da Armada. E, em 2002, começam as obras das novas instalações do clube.

O CNC organiza o Mundial da Classe 505. Nasce o troféu Quebramar e a festa Bye Bye Summer. Organiza também o Campeonato Europeu de Star em 2003 e, em 2004, celebra a vitória da candidatura da organização do Campeonato do Mundo de Vela de Classes Olímpicas para 2007. O ano de 2004 contou com a conquista do prémio de Vela da KPMG, assim como a estreia da Portugal Match Cup, prova destinada ao Match Race.

O ano de 2007 assinalou a inauguração das novas instalações e do Centro de Alto Rendimento de Vela e a realização do ISAF Sailing World Championship, campeonato do mundo das classes olímpicas, com a participação de 1392 velejadores e 990 embarcações de 76 países.

Em 2008 o clube acolheu o Seth Cascais Worlds, Mundial de Vela Adaptada. A organização da Cascais Dragon Gold Cup, com 74 embarcações de 6 países, sendo 18 portugueses em competição, assinala o início das Dragon Winter Series.

Ao fim de 70 anos de vida o CNC passa a contar com uma publicação oficial e regular, focada nas atividades do clube: a revista Hippocampus.

 

Presidida por José Sotto Mayor Matoso e Gonçalo Esteves.

Em 2010 o sócio Pedro Silveira disponibiliza os equipamentos e é inaugurada a sala de preparação física aberta aos atletas olímpicos.

2011 assinala o início da organização das grandes provas do circuito internacional nas classes TP52 e GP42. Estreia dos fantásticos catamarãs AC45 para a etapa inaugural da America's Cup World Tour.

Em 2012, através do apoio financeiro da CMC, instala-se o novo pontão para a Vela Adaptada. O ano assinala a presença de 9 atletas do clube nos Jogos Olímpicos de Londres, a maior representação de atletas de todos os clubes portugueses.

De 2012 a 2018 o clube acolhe os RC44, um dos circuitos mais importantes da Europa.

Em 2013 o clube viveu um dos momentos mais altos de sua história, quando recebeu a condecoração com a Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República Portuguesa. 

Em 2015 é atribuída ao sócio do CNC Charles Lindley, pelo seu empenho na formação do Projeto Vela Sem Limites, a Medalha de Mérito do Império Britânico.

Em 2016, durante a realização do Cascais Vela, o CNC recebe a visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em 2017 a Mirpuri Foundation tornou-se o novo patrocinador da Escola de Vela.

Em 2018 o clube festeja os seus 80 anos e o clube recebeu o Extreme Sailing Series, o Rolex TP52 World Championship e o RC44 Cascais World Champion.